29
May

Remodelações: Poupar ou Investir?

Quando se trata de remodelar a nossa casa, onde devemos poupar e onde devemos investir?

Será que devemos escolher os materiais mais económicos mesmo que tenham menos durabilidade e fazer obras de manutenção ao longo do tempo?  Será que devemos investir numa decoração cuidada e intemporal?

 

As questões são muitas e vamos abordar algumas e deixar recomendações. Relembramos no entanto que cada caso merece uma atenção pormenorizada e personalizada, as respostas não são iguais para todos os orçamentos e para todas as circunstâncias.

Obras:

Os sistemas elétricos, canalizações e materiais de isolamento (janelas, portas, tintas, azulejos, etc.) devem ser de qualidade uma vez que qualquer arranjo ou manutenção será bastante dispendiosa. Só por chamar o técnico já está a pagar a deslocação.

O mesmo acontece com as partes da casa com mais uso: em caso de moradias os telhados. Um inverno rigoroso pode trazer dissabores e simplesmente não se podem adiar estes arranjos.

O chão da sua casa também sofre bastante desgaste, protegê-lo com tapetes giros e tratar com produtos adequados é importante.

Os azulejos são materiais de longa durabilidade, tenha atenção que o que é moda hoje pode ser cansativo daqui a uns 10 anos.

Para ter uma noção mais adequada do que pode fazer para rentabilizar um espaço, criar ambientes confortáveis e tirar partido de toda a área da casa pode consultar-nos para fazermos um projeto à sua medida.

Todos os nossos projetos são concebidos em 3D para que os clientes tenham noção absoluta do que vai ter no final.

O caderno de encargos, prazos e status também são sempre partilhados à medida que são implementados.

Decoração:

Se não herdou aquela cómoda da casa da sua avó que sempre adorou pode sempre investir nas peças chave que sabe que nunca se vai cansar. Móveis robustos, de linhas simples e de boa qualidade podem ser bastante versáteis. O móvel da TV na sala, amanhã pode ser colocado no corredor como elementos decorativos.

Invista numa boa cama, é a responsável pelo seu descanso e usa-a todas as noites.

Os tecidos numa casa – toalhas, lençóis – se não tiverem qualidade perdem o conforto rapidamente e é preciso substituí-los.

Almofadas, sofás e loiças compre aquilo que lhe parece funcional e que a deixe à vontade para desfrutar. É provável que lhe apeteça beber um copo de vinho enquanto vê um filme, não tenha mais atenção ao copo do que à história… ou se tiver animais de estimação, crianças ou goste de convidar amigos, há-de haver quem parta um prato, o seu filho vai pintar com canetas perto das almofadas e o cão adora dormir no sofá.

Uma casa feliz é uma casa onde se vive sem preocupações desnecessárias.

Claro que se se apaixonar por um conjunto de jarras caríssimo e achar que fica super bem lá em casa, invista nesses pequenos mimos. Traga recordações de viagens, espalhe fotografias e quadros que espelhem a sua família e troque-os quando quiser.

Resumindo: invista em tudo aquilo que não conseguir consertar sozinho em caso de avaria e que não seja facilmente substituído ou que lhe proporcione um maior bem-estar.

Poupe em coisas simples do dia-a-dia e que lhe permitam um maior desapego dos bens materiais.

Afinal de contas, a melhor parte de uma casa são as pessoas com quem a partilha.

As janelas devem ser de boa qualidade para reterem o calor e isolarem a casa das intempéries ao mesmo tempo que deixam passar a luz solar.

 

Escolha azulejos com cores suaves ou neutras para que não se canse rapidamente, já que este material tem uma grande durabilidade.
Aposte nos detalhes. São eles que espelham a sua personalidade e que transformam a sua casa num espaço acolhedor.
Invista numa boa porta de casa com uma boa fechadura. Elas são as responsáveis pela sua segurança e privacidade.